Sexo e Vida em Tempos de Aids.

15:50

sexo, vida, tempos, aids, prevenção, saúde, morte, hiv


Como desfrutar da sexualidade de forma segura? Essa pergunta ecoa em todo o mundo, mas infelizmente, poucas pessoas conseguem responde-la de forma coerente, isto porque, a proliferação das DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis) são uma das maiores causas das moléstias venerias que a sociedade moderna precisa enfrentar. Elas estão em todo lugar, contaminando milhares de pessoas, sem definir cor ou condição social. Algumas dessas doenças, como a AIDS (Síndrome da Imuno Deficiência Adquirida) ainda não tem cura, culminando na morte de muitos individuos que a contraem. Lamentavelmente, desde que foi descoberta na década de 80, esse vírus ceifou a vida de muitos que tinham uma rotina sexual promiscua, sendo considerada como a doença da lascividade, já que estava diretamente ligada a relação sexual.

Como se sabe a AIDS é a mais mortal de todas as DSTs, já que até a atualidade não foi descoberta uma cura para o montante de pessoas que sofrem com essa doença. Geralmente, as pessoas que contraem esse vírus pegam através de transfusões de sangue e quem usa drogas injetáveis, torna-se um grande candidato a se contaminar, mas, o ato sexual ainda é o maior meio de contagio. Nesse sentido existem vários grupos de risco que são mais sucetíveis a contaminação.

Antigamente, o mais estigmatizados eram os homossexuais, pois, devido a uma vida sexual muito ativa eles eram taxados de serem os disceminadores dessa doença. Hoje, no entanto, as coisas começam a mudar, de modo que grupos que antes não eram levados em conta tornaram-se o ápice de transmissão dessa doença. É o caso dos idosos, das mulhres casadas e dos adolescentes. O primeiro, após o surgimento de medicamentos para eração, tornou-se o grande transmissor do HIV. Cada vez mais idosos se apropriam de medicamentos para aumentar o apetite sexual, no intuito de satisfazer seus desejos. Até ai nenhum problema. Entretanto, eles acabam tendo relação sem camisinha e levando para dentro de casa as DSTs, dentre elas a AIDS.

Com isso, o segundo grupo acaba sendo atingido diretamente: as mulheres. Elas que geralmente vivem em função do seu companheiro, não no sentido de dependência, mas sim no sentido de fidelidade, já que elas sempre tiveram que viver com o estigma do preconceito e da discriminação, numa sociedade onde o patriarcalismo dita suas regras. Essas mesmas mulheres, muitas vezes são vitimas dos seus conjugueres que mantêm relações sexuais fora do casamento e acabam trazendo para dentro de casa as doenças venerias. O resultado disso é o alto número de mulheres casadas que aparecem com o virus da AIDS, elevando os casos de contagio desse grupo que ocupava a última posição entre os grupos de risco.

Vale salientar também a questão da iniciação sexual entre adolescentes. Esse último grupo hoje tem o seu primeiro contato sexual entre os 13 e os 15 anos de idade. Nessa faixa etária muitos deles não conhecem sobre a própria sexualidade, pois é nesse momento, denominado “adolescência”, que ocorrem àquelas famosas dúvidas sobre a vida, consequentemente sobre a sexualidade. A insegurança que esse período proporciona acaba favorecendo a iniciação precoce a vida sexual, na qual eles não procuram se informar das maneiras mais seguras de ter a sua primeira relação; ou não usam de forma correta os métodos contraceptivos mais comuns, dentre os quais a camisinha, o meio mais seguro de previnir doenças e uma gravidez indesejada.



Enquanto uma possível cura não é elaborada, a forma mais segura de prevenção é usando a camisinha. Sei que já é clichê falar sobre isso, já que os meios de comunicação a todo o momento propagam a crucialidade dela para a prevênção de doenças como a AIDS. Mas, lamentavelmente, com toda a informação dada pelos meios midiaticos, ainda é grande o número de pessoas que desconsideram a sua importância. Prova disso, são os indices de contaminados em todo o mundo. É só você procurar alguma matéria sobre o vírus que, rapidamente serão fornecidos dados crescentes de pessoas que contraíram o HIV. Isso ocorre por descaso, descuido e, principalemente por autoconfiança, em achar que nunca acontecerá com a pessoa que está transando sem camisinha.Todos esses grupos constituem hoje o mosaico de casos de contaminação do vírus da AIDS.

É evidente que, se comparado há dez anos, houve uma grande melhora. O governo passou a fornecer gratuitamente preservativos em postos de saúde; também criou campanhas educativas nas escolas, postos médicos, associações de moradores e etc., para discutir sobre os perigos do sexo desprovido de camisinha; os meios de comunicação a todo o instante divulgam matérias que falam a respeito da necessidade de se fazer sexo seguro... Tudo isso contribuiu para desacelerar a propagação das doenças sexualmente transmissiveis em vários países, dentre eles o Brasil.

Mesmo assim, muito precisa ser feito para retardar o avanço das DSTs e da AIDS. A Universidade Federal de Pernambuco – UFPE - está tentando encontrar um antídoto para impedir o desenvolvimento do vírus HIV. Iguais a Federal, muitos laboratórios em todo o mundo se esmeram para encontrar uma formula que possa curar milhões de pessoas afetadas com essa doença que não só ataca o físico, mas também o psicológico e o emocional, numa sociedade que discrimina e crucifica a pessoa que declara ser portadora dessa doença.

A sexualidade, em todas as suas manifestações, sempre foi motivo de inúmeros debates, visto que, falar sobre sexo ainda é um tabu, sobretudo vivendo numa sociedade onde a precocidade sexual cresce assustadoramente. Pior ainda é quando essa sexualidade está ligada a alguma doença incurável (a AIDS), levando o individuo a ser segregado do meio social, entregue literalmente ao esquecimento. Para que essa discriminação não aconteça o melhor caminho ainda é a prevenção e nesse aspecto a camisinha atua de ator principal no palco da vida.

Respeitar a vida é valorizar os momentos bons que ela pode proporcionar; é repeitar o companheiro (a) que está do seu lado; é respeitar o seu próprio corpo e sempre encontrar uma maneira de suprir seus desejos sem prejudicar o próximo. Quando esses conceitos estiverem sedimentados nas mentes de todos, possivelmente teremos uma drástica redução nos índices de mortalidade causados pelas DSTs/AIDS.

Lembre-se da importância que a sua vida exerce para você e para aqueles que lhe circundam. Pense nisso antes de transar sem camisinha. Tenho certeza que você tomará a decisão correta...






LEIA TAMBÉM

3 FELICIDADES

  1. Excelente texto! Você como sempre compartilhando conhecimento com o leitor. Parabéns mesmo!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado amigo! Tenho um carinho muito especial por esse texto, pois ele foi o primeiro texto crítico produzido por mim na adolescência.

    O tema abordado parece clichê, mas ainda não saiu de moda, visto que as DSTS/AIDS ainda assombram a vida de muitos.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia todo mundo meu nome é blunt james dos EUA, eu tenho esta grande oportunidade de compartilhar este testemunho sobre como eu recebo a cura para o meu HIV, há dois anos eu era HIV positivo, então eu estava sofrendo de que eu estava fazendo uma coisa ou a ordem Para obter uma cura lá foi saber caminho para que eu estava no meu caminho busca na internet Eu vejo um testemunho de um jovem, falando sobre como o Dr. Aziba ajudá-lo a curar para o HIV com a sua medicina de ervas eu estava surpresa e eu Não acredito, eu disse ok, deixe-me experimentá-lo Eu entrei em contato com ele em seu endereço de e-mail e ele me deu intrusão e eu segui ele ele me disse o que fazer e eu faço isso depois de 5 dias ele me enviar o medicamento através da DHL e recebi Ele me disse como usá-lo e eu faço isso depois de duas semanas ele me disse que eu deveria ir para o teste Eu faço isso e eu estava com medo, mais tarde no teste saiu eu estava tão surpresa que sou HIV negativo Eu era tão Muito feliz eu não podia acreditar que vai funcionar e eu ser HIV Negativo, agora estou feliz com minha família com meus dois filhos. Eu quero usar esta oportunidade para dizer isso se você tem esse tipo de doença chamada HIV eu quero que você entrar em contato com ele é e-mail (Draziba@outlook.com OU WHATSAPP ELE +2349076651593) e ele também pode ajudá-lo a obter uma cura para HPV doença ou qualquer doença com a sua ervas medicina. Tudo que você tem a fazer é acreditar nele. Esta é uma das promessas que eu fiz que eu purblish ele para o mundo. Obrigado meu Dr. maio Deus te abençoe.

    ResponderExcluir

recent posts

Comentários

Instagram