Quadrilha Junina Tradição 2010 - Sinopse: Hoje é o Meu Dia de Sorte (PARTE 5)

15:02


By Anderson Gomes
Correção Textual: Diogo Didier

COREOGRÁFIAS

Os movimentos coreográficos que vocês apreciar, obedece a comportamentos característicos das quadrilhas juninas – passos tradicionais que deram origem ao brinquedo, tais como: anarrie, anavantur, balance, passeio dos namorados, caminho da roça, ganchê e outros. Além da presença dessas evoluções, movimentos contemporâneos foram inseridos para atualizar a dinâmica do espetáculo e o contexto histórico que a manifestação encontra-se atualmente.

Se utilizando da temática oferecida, desenvolvemos coreografias que dialogassem com a história, então alguns desenhos cênicos são pontuais para este entendimento: sinais matemáticos de soma (+), multiplicação (x), porcentagem (%) assim como o cifrão de dinheiro ($). Outras referências ao tema estão em movimentações de braços que, quando estendidos simbolizam o exibir a mão para a leitura cigana do seu destino e o sinal de que se deseja dinheiro, esfregando os dedos.

Cenas específicas ajudarão a contar o desenvolver da história associando a relação dos personagens com o dinheiro: Ciganos, Cangaceiros, Lampião e Maria Bonita, a volante e o Rei e a Rainha do milho. As marcações terão como base, alguns ritmos juninos para desenvolver outras percepções, como no Coco, no Xote, no Baião, no Xaxado, nas Marchas juninas e as demais existentes.

MÚSICA

A seleção para o repertório musical do espetáculo junino Causos Nordestinos: HOJE é meu dia de SORTE. Pede emprestada a licença poética, quando agregamos o valor artístico de diversas composições musicais, doa qual, traduzidas por vários cantores e cantoras nacionais, contribuíram para sintetizar em 23h00min de dança a discussão e a relação existente entre o homem e o dinheiro, o homem e a sorte, o homem é o sonho de ter um futuro melhor, e claro, o homem e o amor em vários aspectos.

Todos estes valores e olhares imersos no universo proposto pelo tema levantado.
No entanto, para beber o repertório foi preciso antes tomar por base alguns parâmetros explicitados na sinopse como contexto histórico, critica sociais, sonhos e desejos entre outros momentos. Logo, obedecendo a um recorte musical possível de ocorrer no tempo programado, sendo pontuais em traduzir alguns dos sentidos da festa, temáticos, de símbolos e signos imagéticos da cultura e da sociedade interessada neste espetáculo.

No entanto, nesta trilha há composições próprias de artistas locais da comunidade que, conosco estão engajados em oferecer um repertório diverso e coerente com a proposta materializada aqui musicalmente.

A seguir, com o intuito de facilitar o ouvido/olhar, teremos as letras contendo todas as composições musicais presentes no contar deste grande causo nordestino. Essa é a essência sonora que mantem a nossa originalidade e identidade em fazer com alegria Quadrilha Junina.

A seguir, a trilha sonora que complementa o traduzir deste espetáculo:

Seleção musical:
Anderson Gomes/ Gildo Alencar/ Ellon Sant`Anna

1. Música: Magia Cigana
Cantor: Beto Sanfoneiro
Compositor: A – cores.
Gênero: Galope Junino
Letra:

Abra seu coração
Me mostre a mão
Quero ver o seu destino
Na noite de São João
Vem com a tradição
Festejar causos nordestinos

Vem, vem, vem Tradição
Pro causo que eu vou lhe contar
Uma história de amor e paixão
Que a cigana adivinhar

Abra seu coração
Me mostre a mão
Vem viver essa magia
Na noite de São João
Vem com a tradição
Festejar a nossa alegria
Caminhei, nas estrelas cheguei
Vi a sorte t]ao sonhada
Eu ganhei do céu, eu sei
Uma árvore encantada

Abra seu coração
Me mostre a mão
Vem viver essa magia
Na noite de São João
Vem com a tradição
Festejar a nossa alegria

Seja como for, e será
A felicidade me guia
Tem casamento neste arraiá
Hoje é dia de alegria

Abra seu coração
Me mostre a mão
Quero ver o seu destino
Na noite de São João
Vem com a tradição
Festejar, causos nordestinos

2. Música: Bombar
Cantor: Banda Canários do Reino
Compositor: Dada Moreira
Gênero: Rancho Junino
Letra:


Vem!
Que hoje a noite vai bombar
E arrombar de vez
Fazer o nosso amor
Bombar, bombar, bombar

Vem!
Que hoje a festa é de arrombar
De arrombar, já vem
Fazer o nosso amor
Bombar, bombar, bombar

Olha as estrelas no céu
Enquanto a lua passeia
No terreiro fogaréu
Meu coração incendeia

Deixa eu deixar você louca
Deixa eu beija sua boca
Nesta noite de amor
Quero ter você juntinho
Meu amor, minha paixão
Nesta noite de São João

Só dá você,
Só dá você,
Só dá você,
Dentro do meu coração

3. Música: Vida boa aperriada
Cantor: Flávio José
Compositor: Pinto do Acordeom
Gênero: Marcha Junina
Letra:

Êita vida boa aperriada
Êita vida boa aperriada
Êita vida boa aperriada
Com você eu tenho tudo
Sem você não tenho nada (bis)

Pra que tanto dinheiro
Sem o seu amor
Pra que tanto frio
Sem o seu calor
Pra que tanta mulher
Se você não está aqui
Pra que chorar
Se é melhor sorrir
Pra que tantas estrelas
Brilhando no céu
Pra que tanta amargura
Se você é mel
Pra que tanta esperança
Se você não vem
Pra que tanto ódio
Se eu te quero bem (refrão)

4. Música: Aba de chapéu
Compositor: Beto Sanfoneiro
Gênero: Forró
Letra: Instrumental

5. Música: Ô papai
Cantoras: Grupo – Comadre Fulosinha
Compositor: Domínio Público
Gênero: Coco
Letra:

Ô Papai, me dê dinheiro
pra eu enfeitar meu balão. (4x bis)
Eu vou fazer o meu vestido
Todo cheio de modelo
Cheio de cava e botão
E quando eu me vestir nele
Vou me embora pro sertão.

Voar, voar como um pavão
Que é bicho do bico dourado
Eu tô namorando um soldado
Do bando de Lampião.

6. Música: Cavalos do cão
Cantor: Zé Ramalho e Elba Ramalho
Compositor: Zé Ramalho
Gênero: Xaxado
Letra:

Corriam os anos trinta
No nordeste brasileiro
Algumas sociedades lutavam pelo dinheiro

Que vendiam pelas terras
Coronéis em pés-de-guerra
Beatos e cangaceiros

E correr da volante
No meio da noite/no meio da caatinga
Que quer me pegar

Na memória da vingança
Um desejo de menino
Um cavaleiro do diabo
Corre atrás do seu destino

Condenado em sua terra
Coronéis em pés-de-guerra
Beatos e cangaceiros

E correr da volante
No meio da noite/no meio da caatinga
Que quer me pegar


7. Música: Tire o Pé do chão
Cantor: Petrúcio Amorim
Compositor: Petrúcio Amorim
Gênero: Forró galope
Letra:

Tire o pé do chão
Moça bailarina
De outra era
O tempo engole a gente
Feito fera
Vem ouvir comigo
Essa canção

Tire o pé do chão
Se ele já não quer
Mais te querer
A vida ainda gosta de você
Tem gente
Querendo teu coração

Tá vendo o facho
Luminoso lá na rua
Se eu juntar a tua
Alegria com a minha
O tempo e pouco, pouco
Como a vida e
Pra gente só
Brincar de rei e rainha

E xote a noite inteira
Coco de roda e baião
Batida de limão
Cajuína e catuaba
Vem minha namorada
Vem ver a luz do dia
No balanço da poesia
Amar de madrugada

8. Música: Lembrança de um beijo
Cantor: Flávio José
Compositor: Accioly Neto
Gênero: Xote
Letra:

Quando a saudade invade o coração da gente
Pega a veia onde corria um grande amor
Não tem conversa nem cachaça que de jeito
Nem um amigo do peito que segure o chororô
Que segure o chororô
Que segure o chororô

Saudade já tem nome de mulher
Só pra fazer do homem o que bem quer
Saudade já tem nome de mulher
Só pra fazer do homem o que bem quer

O cabra pode ser valente
E chorar
Ter meio mundo de dinheiro
E chorar
Ser forte que nem sertanejo
E chorar
Só na lembrança de um beijo
Chorar

9. Música: É proibido cochilar
Cantor: Grupo Nordestinos do Forró
Compositor: Antônio Barros
Gênero: Baião
Letra:

O forró daqui é melhor do que o teu
O sanfoneiro é muito melhor
As moreninhas a noite inteira
Na brincadeira levanta pó.

É animado ninguém cochila
Chega faz fila pra dançar
E na entrada está escrito
É proibido cochilar.

É proibido cochilar
Cochilar, cochilar
É proibido cochilar
Cochilar, cochilar.

A poeira sobe, o suor desce
A gente vê o sol raiar
O sanfoneiro padece
Mas, não pode reclamar.

Se está ganhando dinheiro
É bom dinheiro ganhar
E ele leu na entrada
Que é proibido cochilar.

10. Música: Moeda da Sorte
Cantor: Beto Sanfoneiro
Compositor: A - cores
Gênero: Marcha junina
Letra:

É ouro, prata e bronze
Qual será o seu lugar?
Gira a moeda da sorte
Cara ou coro?
Quero ver quem vai ganhar

Ô ô ô ô ...
Á á á á ...
Vem festeja,
Vem arriscar,
Quero ver ganhar!

11. Música: Não quero dinheiro
Cantor: Beto Sanfoneiro
Compositor: Tim Maia
Gênero: Forró acelerado
Letra:

Vou pedir prá você ficar
Vou pedir prá você voltar
Eu te amo
Eu te quero bem
Vou pedir prá você gostar
Vou pedir prá você me amar
Eu te amo
Eu te adoro, meu amor
A semana inteira
Fiquei esperando
Prá te ver sorrindo
Prá te ver cantando
Quando a gente ama
Não pensa em dinheiro
Só se quer amar
Se quer amar
Se quer amar
De jeito maneira
Não quero dinheiro
Quero amor sincero
Isto é que eu espero
Grito ao mundo inteiro
Não quero dinheiro
Eu só quero amar



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Acessado em: 20 de Maio de 2010. Disponível em:
Acessado em: 20 de Maio de 2010. Disponível em:
Acessado em: 27 de Maio de 2010. Disponível em:
Acessado em: 18 de Maio de 2010. Disponível em:
Acessado em: 03 de Junho 2010. Disponível em:
ALVES, Cleide. FALCAO, Verônica. Jornal do commercio. p. 5-8. 28 de Maio 2010. PE
_______Carta Capital, ano xv. Nº 514, SP, p. 10-15. 24 de set. 2008.
_______MÁRIO, Ribeiro. Cartilha do Ciclo Junino.2008. p. 27-28.59-61.
BENJAMIN, Roberto. Festejos Juninos: origens. Revista Continente Documento. Ano I, nº 10. 2003.
BORG, Charles. Ver a Vida. Ed. Ave Maria, SP. 2001.
CERBASI, Gustavo. Dinheiro - Os segredos de quem tem. p. 5-11. Mar.2008.
DUNLEAVEY, Mp. Dinheiro pode comprar a felicidade?. p. 25-41. Jan. 2007
GUIMARÃES, Ruth. Medicina Mágica: as simpatias. SP:Global, 1986.
LÉLIS, Carmem. Quadrilha, história e Atualidade – um movimento que não é só imagem. Recife, Fundação de Cultura da Cidade do Recife, 2004.
MENEZES NETO, Hugo. Quadrilha junina: uma abordagem antropológica. Recife, Fundação de Cultura da Cidade do Recife, 2007.
REVISTA PORTUGAL. Presenças de Santo Antônio. p. 6-12.
SAMPAIO, Robson. Folha de Pernambuco.Caderno cidade. 26 Out.2009.
SÃO JOÃO - A grande festa do povo. Continente. Documento. Ano I. Nº 10, p. 29-32. 2000




A seguir está a correção na integra do texto da Junina Tradição:

Olá lindo!


Primeiramente, quero expressar toda a minha gratidão e, sobretudo admiração pelo seu trabalho. Sei que você já deve estar cansado de ouvir elogios, mas é sempre bom ratificar um excelente trabalho como este que você está realizando com a tradição. Parabéns de verdade!

O seu texto, como sempre, me surpreendeu. Primeiro pela quantidade de páginas (kkkkkkkkkkkkkkk), pois, confesso ter ficado assustado com as TRINTA E CINCO páginas da sinopse. Segundo, e não menos importante, pela qualidade dos conteúdos correlacionados com o tema escolhido para ser apresentado pela Junina Tradição. Em contrapartida, eu encontrei bem mais erros do que da outra vez que eu corrigi a sinopse da Traque de Massa. Acredito que isso foi o reflexo de vários fatores que culminaram num texto extraido da gênese da produção.

Pois bem! Em seguida, colocarei as minhas considerações a respeito do seu texto. Para que o raciocinio de ambos flua numa linha tênue, fiz algumas sedimentações para clarificar a correção, ou seja, utilizei cores para dizer o que eu gostei e o que não gostei:

VERMELHA: Corresponde a todos os erros encontrados e corrigidos (eu marque em vermelho para que você faça uma comparação entre o antes e o depois)

  • Pontuação (as falhas de pontuação não foram grifadas de vermelho por esquecimento meu, mas foram todas corrigidas)
  • Concordância;
  • Uso da crase;
  • Parágrafos muito longos (acho que você vai perceber que eu divide alguns parágrafos grandes demais)
  • A falta de utilização dos operadores argumentativos (Esse recurso textual é de crucial importância para o entendimento do texto. Não sei se você ainda lembra da minha ultima correção? Pois bem! Eu falei da ultima vez que o texto é formado, basicamente de duas coisas: COESÃO E COERÊNCIA. Ambas se completam, mas é possivel a existência de um texto apenas coerente (como foi o seu caso). Entretanto, é necessário ressaltar que a falta demasiada da coesão pode prejudicar o sentido do seu texto. Nesse caso, os operadores argumentativos são importantissimos, pois são eles que fazem com que o texto torne-se um elo coesivo coerente. E que argumentadores são esses? Nesse sentido, nesse perspectiva, desse modo, isto porque e etc...Além, é claro, das conjunções que são responsáveis pela construção semântica do texto. Espero estar sendo claro?!);
  • Má conjugação verbal;
  • O uso indevido do pronome "ONDE" (é muito comum encontrar esse tipo de erro nos textos. Geralmente, as pessoas não sabem utilizar o pronome corretamente, ora por falta de leitura que reflete diretamente na produção da escrita, ora por falta de conhecimento da importância de se usar os operadores argumentativos. Enfim...Tentarei explicar de forma clara como se usa esse pronome: O "onde'' é usado para expressar uma ideia de lugar, mas esse lugar que eu vou estará parado, é fixo. ex: Onde diogo mora? ( o onde nessa oração dá ideia de lugar. E que lugar é esse? a casa de diogo, que é um local fixo. Já em "aonde" a intenção é oposta. ex: Aonde diogo vai? Nessa oração não se sabe o rumo pelo qual diogo seguirá, ou seja, a rota de diogo ainda é incerta. Deu para entender?! Espero que sim);
  • Aglutinação de palavras indevidas "PRA" (manifestação das marcas da oralidade = Não sei se eu falei sobre isso na ultima correção, mas, mesmo assim, farei um breve comentario. Agrafia de palavras erradas no texto manifestam para o interlocutor que o autor desse texto tem algum problema com a escrita de determinadas palavras. Geralmente, associa-se logo a um escritor que não tem um bom hábito de leitura, ou alguém que confundi a estrutura da lingua falada com a lingua escrita. Nesse sentido, é bom ter cuidado, pois a permanência nesse erro pode resultar em algo chamado PRECONCEITO LINGUISTICO, que nada mais é do que esteriotipar o falante de acorco com o seu conhecimento e dominio de uma lingua. Tome mais cuidado!
  • Grafia errônea de várias palavras, prejudicando a compreensão textual em vários momentos (é importante ter em mente que a grafia correta do léxico de uma língua constitui a manifestação intrínseca do autor, em outras palavras, o autor do texto se apresenta através dos seus erros e acertos);
  • Juizo de valor (é muito comum, na produção textual, a introdução, consciente ou não, de quem está produzindo o texto. Naturalmente, é quase impossivel não expressar algum tipo de pessoalidade na hora de por no papel certos posicionamentos. Entretanto, é bom termos em mente que, em alguns momentos, devemos ser eufêmicos em determinados assuntos. Isto porque, para mostrar uma carga valorativa num texto, você terá que estar munido de um arcabouço ideológico tamanho que possa responder por uma massa pensante, ou seja, você não pode falar pelo furôr da emoção. Estou dizendo isso porque, na parte que você redigiu falando sobre CASAMENTO, respingou claramente a sua posição acerca dos desmandos da Igreja Católica que historicamente usurpa da população quantias infindáveis de dinheiro. Até ai nenhum problema, só que a forma como foi dita por você soou grosseira e altamente pessoal, além da prolixidade, fator este que eu considerei desnecessário, já que o seu texto como um todo está MARAVILHOSO. Por isso, tomei a liberdade de fazer uma breve alteração para que o texto ficasse mais conciso e menos pessoal. Espero que goste!


AZUL: Essa parte corresponde aos belíssimos parágrafos redigidos por você. E olha que não foram poucos! Achei muito boas as referências históricas e científicas que foram colocadas no texto. É muito importante fazer a introdução de vários conceitos para delimitar o foco do tema que será abordado e você fez isso de forma brilhante. Só tenha mais cuidado com o fator coesão, pois, como foi falado anteriormente, mesmo um texto super-coerente como o seu, poderá sofrer com a falta dessa partícula textual.


No mais, o seu texto está MARAVILHOSO e rico de informações que até mesmo eu ,que sou um leito assíduo e ávido, desconhecia. Também quero dizer que a correção poderia ter ficado melhor se VOCÊ BELEZA tivesse enviado em tempo hábil (kkkkkkkk). No entanto, eu entendo a loucura que deve ser elaborar tudo isso e ainda cuidar de uma espetáculo, mesmo achando que VOCÊ deveria ter enviado essa sinopse mais tempo.

Outro detalhe importante, eu não corrigi com muito detalhe as falas do casamento, porque eu não quis ferir a questão da linguagem(caipira) utilizada no enredo. Apenas retirei o que eu achei realmente necessário.

Em linhas gerais, o seu texto está DIVINO. Espero que você tenha total êxito no seu trabalho, de modo que cada folha dessa que foi corrigida por mim, exprimam um pouco de seu infindável talento e que a Tradição, que já se tornou a minha quadrilha do coração, lhe represente da melhor forma possível, tá bom?! bjjjjjjjjjjjjjjjjjjoxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Espero ter ajudado você e a Tradição, a final neh: Hoje é Meu Dia de Sorte e amanhã, quem sabe, será o nosso!

LEIA TAMBÉM

1 FELICIDADES

  1. Gente eu queria esse repertório pois nossa quadrilha falará do mesmo tema q vcs falaram em 2010!

    ResponderExcluir

recent posts

Comentários

Instagram