Pretexto de um Protesto

20:05



Por Reginaldo Lordannos*

Direitos? Igualdade? Paz? Meu povo não conhece o significado dessas palavras, meu senhor. Muito menos o que é vivenciá-las. Infelizmente o Direito ainda tem cor, a Paz ainda tem credo e a Igualdade ainda tem classe social.

Estou cansado, cansado de querer uma Igualdade que me difere, um Direito que me acusa e uma Paz que me atormenta. Exausto de dizer pra minha gente que um dia seremos todos iguais, que teremos paz e que nossos direitos serão reconhecidos.

Força? Que força, meu senhor? Não tente adjetivar positivamente meu sofrimento, minha dor e meus direitos negligenciados. Desde que meu povo foi retirado brutalmente da África, sua vida tem sido marcada por desgosto.

Minha gente anda tão desiludida de não ter Direitos, Igualdade e Paz que quer apenas Respeito. Olha a que pontos chegamos, meu senhor. Pedir o que deveria ser naturalmente garantido. Respeito!

Senador? É esse o seu título não é mesmo? É esse o seu cargo? Então é você o homem eleito por estas tantas minorias humilhadas, esquecidas e forçadamente invisibilizadas para a sociedade. O que houve com o seu compromisso social? O que houve com os Direitos desses cidadãos que não são da sua cor, da sua religião, da orientação que o senhor professa ser, que não pertencem a sua roda de amigos?

É vergonhoso, meu senhor, ver um país trigueiro negar suas origens nos Censos aplicados. Uma nação tão rica em diversidade cultural como a nossa, graças as suas várias etnias, poderia ser motivo de orgulho nacional e exemplo para o mundo.

Minha gente está farta de adaptar sua fé, seus costumes e manifestações culturais para ser aceita. A verdade é que estamos todos enojados com tanta hipocrisia, com tanto preconceito velado, disfarçado, enfeitado e por fim negado.

Essa gente de cabelo ruim! É assim que se referem ao nosso estilo, meu senhor. Ruim? Ruim é a ignorância e o racismo que se encontram escondidos atrás dessas palavras. A dor e o estalar da chibata ainda ressoa em nossos ouvidos toda vez que é preciso criar uma Lei para que não sejamos desrespeitados, agredidos ou mortos.

Minha dignidade é diariamente questionada pelo simples fato de ser pobre. Então, não queira tornar meu fardo ainda mais pesado menosprezando-me pela minha cor, pela minha orientação, pelo meu sotaque e tantos outros motivos pequenos que nos diferencia.

Aprendi que não devemos nos abater pelas injustiças, que não devemos nos calar diante das ofensas, porque não devemos nada a ninguém. Ainda esperamos pelo dia que nossas diferenças servirão apenas para nos qualificar e não para nos distanciar.

Minha gente ainda precisa se impor, se dispor, incomodar, bradar, reclamar e reafirmar a sua posição de cidadão de uma nação que nega a seus filhos o pão da sobrevivência que os manterá na decência de civil honesto e disposto a procurar um posto pra chamar de seu.

Numa sociedade onde a Ordem ainda não está estabelecida não haverá Progresso.


* Reginaldo Lordannos é estudante de Artes Cênicas e Agente Cultural pela CIMA Produções Artística

LEIA TAMBÉM

1 FELICIDADES

  1. Muito bom esse texto, Igualdade, Direito e Paz longe de serem alcançados mas não impossiveis, tenho esperança.

    ResponderExcluir

recent posts

Comentários

Instagram