André Gonçalves e Lui Mendes vivem gays na TV novamente, mas separados

13:26


Visto no Extra

André Gonçalves e Lui Mendes vivem dois gays na TV atualmente, e não é no “Vale a pena ver de novo”, muito menos numa reprise do canal Viva. Em 1995, quando não se falava em beijo homossexual nas novelas, eles deram vida ao polêmico casal Sandrinho (André) e Jefferson (Lui) de “A próxima vítima”, que marcou época na teledramaturgia brasileira. Agora, em “Morde & assopra”, André encarna Áureo, que sai de casa para assumir sua opção sexual e, ao voltar, choca a família e a pequena cidade de Preciosa. E, em “Amor e revolução”, do SBT, Lui interpreta Jeová, o carcereiro gay que demonstra humanidade com os presos políticos.


— Estamos fazendo praticamente um mestrado no assunto (risos) — diverte-se André: — Alexandre Borges costuma dizer que eu só faço coisas exóticas. Graças a Deus, é um personagem contemporâneo, que vai além daquele amor de Romeu e Julieta.


Autor de “Amor e revolução”, Tiago Santiago — que escreveu o polêmico beijo entre as atrizes Luciana Vendramini e Giselle Tigre, exibido na semana passada — diz que a repetição dos atores em papéis homossexuais foi obra do acaso.


— É uma grande coincidência, coisa do inconsciente coletivo — afirma ele, que jura também não ter sito proposital a escolha do nome religioso para batizar o personagem gay: — Não foi pensado para criar polêmica. Jeová pertence a uma família religiosa. Trata-de se de um cara legal, um dos únicos que tem pena dos prisioneiros.

No passado, André Gonçalves foi agredido na rua. No futuro, Lui Mendes beijará Carlos Thiré




O contexto em que André Gonçalves e Lui Mendes viveram um casal gay era completamente diferente. Em 1995, André Gonçalves chegou a ser agredido na rua por viver um homossexual na novela “A próxima vítima”, de Silvio de Abreu. Agora, é saudado pelo público, que se diverte com as pérolas do Áureo de “Morde & assopra”, como “minha nossa Senhora do Gliter, dai-me paciência” e “quem é esse bofe maravilha?”

— Quando visto as roupas dele, ainda me choco. E essas coisas me fazem pensar e aceitar as diferenças entre as pessoas — diz André, que acha graça do figurino colorido e extravagante do personagem: — Áureo me dá a sensação de que veio de Londres. Ele seria a evolução do Sandrinho, que vivia num universo careta, de estudante de direito em São Paulo.

Enquanto o personagem de André periga ter uma recaída heterossexual com Celeste (Vanessa Giácomo) na novela das sete, o de Lui começará a se envolver com Duarte (Carlos Thiré) em “Amor e revolução”. E os dois devem protagonizar o próximo beijo entre homens na TV em julho.

— Comecei a escrever a cena, mas ainda vamos dar um tempo para o romance acontecer — afirma o autor, Tiago Santiago: — A novela não vai ser uma beijação. Será só mais uma cena de beijo gay. Antes de ir ao ar, vamos divulgar amplamente para que a pessoa que não quiser assistir tenha tempo de mudar de canal.

Santiago assegura que teve uma resposta bastante positiva do beijo de Marcela (Luciana Vendramini) e Marina (Giselle Tigre).

— Foram centenas de e-mails me parabenizando e apenas um me chamando de depravado — diverte-se o autor.

LEIA TAMBÉM

2 FELICIDADES

  1. Num sei, Diogo... acho o personagem do André meio esteriotipado,não???
    Mas... enfim! Estamos menos hipócritas! ;)

    ResponderExcluir
  2. Nossa...não sabia que o outro também estava fazendo um papel gay.
    Legal

    ResponderExcluir

recent posts

Comentários

Instagram